Pagine

Clique no Player abaixo para parar a Rádio / Struca par fermar la ràdio

Clique para informações / Struca par informasion

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2021

Ricordo Ancora - Ademar Liot

Sentimo la stòria strucando soto:


 

Ricordo Ancora

    


Dopo de passadi squasi cinquanta ani, ricordo ancora quela matina ciara e serena del genaio del setanta sèi, quando go partì via soldà e, ntel momento dela partensa go dito a la mama e al pupà:..’- Con  vostra benedission, de casa parto via e,  ghe racomando de consolar la  morosa mia, che la me spete, che tornerò. ”

  E l`é sta co`i òcii moiadi che la mama me ga dito;...

      “Caro fiol, che el Signor-Dio te benedissa e, stà tento de tuti giorni dir su l`é preghiere, che noantri anca pregaremo per te e, nò sta mai desmentegar che la vita la ze una granda lission de umiltà e, gnente ensegna tanto, quanto el sofrir e el pianto,  ma soratuto te racomando de esser sempre bonasso de cuor e sèmplice d`anima.’

   E quando el ònibus ga parti e,  go visto alontanarse i campi e  boschi dela mia infansa,  alora el  cuor me ga pulsà forte rento del peto,  robe de saltar fora par la gola e, dopo de`n giorno e na note de viaio  go rivà a la cità de Uruguaina e, me go presentà a un esèrcito che me ciamea  de ‘Gringo’, parvia del  mio parlar,  co un forte assento trentino. Alora i cavei i me ga taià.  Vestir el  fardamento de color verdo come le olive, me ga tocà e, a la  Pàtria Brasiliana, difènderla con braura go giurà e, par de pi de`n ano el fusil e la baioneta go impugnà.  

    Che`l  ano a lontan go senti come che l`é difìssile stare distante dele persone che se vol pròpio ben e, ntel momento che nò go pi batesto continensa  al sargento, alora  go assà  cressere  cavei e  barbin e, //insieme de na tosa de nome libertà,// so ndato via  compir el mio destin e,  co umiltà e rispeto a tutiquanti,  go porta la vita  avanti, ale volte come se fusse un stròpolo butà via ntela corentessa del rieto, a le volte come se gavesse ciapà na bruta scornada de`n bo inrabià,  ma  con dignità go rivà a la mia veciaia che la me fà  pulsar ntele fontenele dela testa tanti ricordi, che i vien e i và  come el fià che se tirà, ricordi che tante volte ntel silensio dela note i me fà saltar sù del leto, par  sguardar ntel disegno dele nùvole che passà, el viso dela mama e del pupà, insieme dei campi e boschi dela mia infansa, però fora par la finestra sguardo solche paredoni,  de concreto e matoni, alora  co`i òcii moiadi ritorno par butarme zo ntel leto e, nte quel s-ciantin la mia Isoldeta se desmissia e la me abrassià con dolcessa, parché  solche Ela  la sà,  cosa che se passa ntei sarvei de so vecieto.

Ademar Lizot.

  

Saindo de Casa

    Passados quase 50 anos, ainda lembro daquela manhã clara e serena do mês de  janeiro de 76, quando parti  de casa e, no momento da despedida eu disse:...

    ‘- Pai, mãe com vossa benção parto para ser soldado e, lhes peço para consolar minha namorada, diga-lhe que voltarei.‘  ‘- Querido filho que Deus te abençoe e, não esqueça de todo dia fazer tuas orações, pois nós também rezaremos por Ti e, não te esqueças que a vida é uma grande lição de humildade e nada ensina mais que o sofrer e o chorar,  mas tenhas sempre em mente de ser um homem de bom coração e alma simples.

  E quando o ônibus partiu e vi distanciar-se os bosques e campos de minha infância, então meu coração bateu forte no peito, como se quisesse saltar pela goela e, depois de um dia e uma noite, chequei a cidade de Uruguaiana, onde ficava o regimento do exército que me chamava de ‘gringo’ devido meu sotaque com um forte acento ‘Trentin”,  Então tosaram meus cabelos e vesti a farda verde-oliva para jurar defender a Pátria brasileira e por mais de um ano empunhei o fuzil e a baioneta.

     Naquele ano senti como é difícil ficar distante das pessoas que amamos e, quando chegou o dia que não bati mais continência pra sargento e capitão, então deixei crescer barba e cabelo e, me apaixonei por moça de nome liberdade e, assim fui cumprir meu destino e foi entre pedradas e sorrisos que levei a vida adiante, as vezes como se fosse uma rolha jogada na correnteza do riacho, as vezes como se tivesse levado um guampasso de um boi raivoso, mas com dignidade consegui chegar a minha velhice, que me faz  pulsar na testa as belas recordações passadas, que vem e vão como o ar que respiro e, que muitas noites me fazem saltar da cama com a ilusão de ver no desenho das nuvens que passam, a face de minha mãe com seu olhar de ternura e de meu pai com seu chapéu na testa, os dois sãos e felizes la nos campos de minha infância porém no horizonte só vejo paredões de concreto, então  com os olhos molhados  retorno à cama e,  naquele instante a minha Isoldinha se acorda e me abraça com carinho, pois só ela sabe o que se passa na mente deste velhinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou?Comente aqui e se possível inscreva-se.