Pagine

Clique para entrar

domingo, 24 de dezembro de 2017

Una Stòrieta de Nadal in tempi de guera - Per Ademar Lizot

“ Un picolo gesto de amabilità, fato co`l cuor, vale de più de mila parole!”

Ntel giorno de nadal del ano 1945 el mondo zera in guera, la più bruta guera de
tuti tempi. Anca ntel paese dei nostri noni, Pàtria dei poeta, scritori, scultori, dela
siénsia e dela cristianità, la bela e maestosa Itália zera soto batàlie de ferossità. In quel
ano, el inverno ga vignesto fredo che mai, gavea neve par sora dei gramadi, erba e
piante, neve anca par sora dei querti de scàndole dele case.
Ntei ùltimi giorni del mese de desembre, mese dela nassità del Bambin Gesù, la guera
se incaminea a so dramàtico fine. El esèrsito dei aliadi:..Mericani, inglesi, Brasiliani e
altre nassionalità, insieme dei Partigiani í guerilieri volontàrie d`Itália, dopo de tante
batàlie de ferossità gavea rivà ale sete provìnsie Vénete:..Venesa, Treviso, Beluno,
Verona, Vicenza, Pàdova e Rovigo, paese andove ga nassesto nostri noni. El esèrsito dela
Germània ancora fea el infrontamento con volontà e determinassion, magari sensa
speransa de trionfar. Però la soferensa più insuportàbile zera del pòpolo Italiano,
soratuto í vècii e bambini che í gavea perso la speransa e anca tanti no í gávea più
gnanca de magnar. Così ze la guera, la più granda stupidità dei òmini.
Ntea note de nadal de quel ano, í signore dela guera, i ga sentisto che gavea una
forsa più poderosa nel cielo, una forsa più forte che l`metraliatrisse, canoni, cari-armati
e arioplani, gavea la forsa del amor sensa fin de nostro Signor Gesù Cristo, così i ga
ferma l´è batàlie. Alora In quel giorno de pace, vècii e bambini de una picola comunità
dela provìnsia de Treviso, con fame e fredo, i ga andato in caminada in serca de aiuto.
Prima i ga andato ala trupa d`inglesi. Quando i ga rivà in quel acampàgio, i ga visto la
bandiera con la crose d`guera de San Giorgio che sgorlava al vento. Al comandate de
quela trupa i ga dito:...
- Signor, felice nadal! Bisognemo de vostro socorso parchè
gavemo fame e fredo.
 El capitan, con la flèoma britanica ga rispondesto:..
- Noantri soldati dela Regina semo qua in Itália par copar Tedeschi e no par darghe de magnar ai
Italiani. 
Cossì ze la guera, sempre insieme dela imbecilità dei òmini.
Alora í vècii e bambini de Treviso, i ga caminà fin che i gavea gambe con destin al
acampàgio dela trupa del esèrsito dei Stati Uniti, el più grando de tuti, pien de canoni e
metraliatrisse. Vanti rivar, a lontan í ga visto una bandiera che sgorlava al vento, con so
colori de sàngue e guera. Alora í ga dito al comandante:... 
- Signor, felice nadal! Bisognemo de vostro socorso, parchè gavemo fredo e fame. 

El capitan, un gueriero pien de determinassion ga rispondesto:... 
- Noantri soldati d` Mérica, semo qua par copar Tedeschi, magari ancoi ze el giorno de nadal, cosi ghe dau la vansadura del magnar de
ancoi e dopo ande via de qua. 
Í vècii e bambini í gavea fame e fredo, cosí i ga acetà quel magnar fredo e agro.
 Cossì ze la guera, sempre insieme dela arogansa de quei che par
fin í paroni del mondo.

Quando í ritornea casa, ancora con fame, fredo e sensa speransa, í ga scoltà a lontan
una bela cansion de nadal. Cossì i ga caminà in diression a quela melodia che menea
sentimenti de pace e fraternità ntele rece e cuor. Vanti rivar i ga visto che quela cantoria
vignea de un acampàgio de soldati e che sgorlava al vento una bandiera bela che mai,
con colori de serenità e pace, la bandiera del Brasil.
Davanti de quel acampàgio gavea de sentinela, un soldà co la pel mora del sol che
quando ga visto quei vècii e bambini con fame e drio patir fredo, el ga sentisto nel cuor
un sgrisolon de pietà, parvia che cosi ze la gente del Brasil. Dopo davanti del
comandante í ga dito:...
- Signor, felice nadal! Gavemo fame e fredo, bisognemo de vostro aiuto! 
Adesso í zera davanti de un omo anca de coràio, però soratuto d`anima
granda e cuor pien de bontà. Dopo de queste parole, el capitan del esèrsito brasilian, in
silénsio ga alsà su ntei brassi un bambin che gavea la someiansa de só fioleto, adesso a
lontan nel Brasil e quelo pìcolo gesto de amabilità, fato co`l cuor, ga valesto de più de
mila parole. In quel àtimo el ga sentisto nel cuor la emossion belissima de che l´èra el
própio bambin Gesù quel gavea ntei brassi. Alora con emossion el ga parlà:..
- Avanti! Carissimi fradei, vigné rento dea nostra casa, parvia che questo acampàgio adesso l´è un
tochetin del nostro Brasil e questa l´è anca vostra casa. Vigné magnar e cantar insieme
dei nostri bravi, qua gavemo fasoi e riso, el nostro magnar predileto, magari se ghe
piase de più la polenta, gavemo anca quela e in questo giorno de nadal, dolsi e cicolata
par í bambini e dopo cantemo insieme par ringrassiar la Madona, San Giuseppe e el
Bambin Gesù, indenociarse e in orassion domandar che la pace ritorne al cuor dei
omeni e al mondo. 
Cossì ze la forsa del amor sensa fin de Nostro Signor Gesù Cristo.

Ademar Lizot.

Tradução (Uma História de Natal)

“ Um pequeno gesto de amor, feito de coração, vale mais que mil palavras!”

No dia de natal do ano de 1945, o mundo estava em guerra, a mais sangrenta de
todos os tempos. Também no pais de nossos avós, Pátria de poetas, escritores,
escultores, da ciência e da Cristandade, a nossa bela Itália estava suportando batalhas
ferozes. Naquele ano, o inverno veio extremamente frio, com neve sobre os campos,
plantas e telhados das casas.
Nos ultimos dias do mês de dezembro, mês do nascimento do menino Jesus, a guerra
se encaminhava para seu dramático fim. O exército dos aliados...Americanos, Ingleses e
Brasileiros em colaboração com os guerrilheiros Partigiani, voluntários Italianos,
depois de muitas batalhas sangrentas, haviam chegado as 7 províncias Venetas:..Veneza,
Treviso, Beluno, Verona, Vicenza, Pádua e Rovigo, lugares onde nasceram nossos avós.
O exército da Alemanha ainda fazia o enfrentamento com bravura e determinação, mas
sem esperança de triunfo. Porém o sofrimento mais insuportável era do povo Italiano,
principalmente dos idosos e crianças que haviam perdido a esperança e muitos estavam
esfomeados. 
Assim é a guerra, a maior estupidez dos homens.

Na noite de natal de 1945. os senhores da guerra, sentiram que havia uma força
muito mais poderosa nos céus, uma força mais potente que canhões, metralhadoras,
tanques de guerra e aviões de combate, era a força do amor infinito de nosso Senhor
Jesus Cristo, assim houve uma trégua na guerra. 
Naquele dia de paz, velhos e crianças de uma pequena comunidade da província de Treviso, com fome e frio, foram em caminhada em busca de ajuda. 
Primeiro foram até o acampamento do exércitoBritânico. Quando chegaram viram a bandeira de guerra de São Jorge tremulando ao vento. Ao comandante daquela tropa disseram:...
- Senhor, feliz natal! Necessitamos de vossa ajuda, pois temos fome e frio. 

O capitão com sua fleuma Inglesa respondeu:...
- Os soldados de sua Majestade, estão aqui para matar Alemães e não para alimentar
Italianos. 
Assim é a guerra, sempre junto da imbecilidade dos homens!

Depois os velhos e crianças sairam a caminhar com as ultimas forças de suas pernas
em direção ao acampamento do exército Americano, o maior de todos, repleto de
canhões e metralhadoras. Antes de chegar, viram tremulando ao vento uma bandeira
com cores de sangue e guerra. Então falaram ao comandante Americano:...
-  Senhor feliz natal! Necessitamos de vosso socorro, pois temos fome e frio. 
O capitão, um guerreiro determinado respondeu:… 
- Os saldados da América estão aqui para matar Alemães, porém hoje dia de natal, vou dar-lhes as sobras dos alimentos, depois ordeno que saiam daqui! 

Os velhos e crianças, tinham fome e frio por isso aceitaram aquele alimento frio e azedo. 
Assim é a guerra, sempre acompanhada da arrogância dos homens!

Quando voltavam para suas casas, ainda com fome, frio e sem esperança, eles
começaram a escutar ao longe uma bela canção natalina. Então foram em direção àquela
melodia que trazia acordes de paz e fraternidade ao coração. Antes de chegar naquele
lugar de cantorias natalinas, viram que era também de um acampamento militar , porém
a bandeira que tremulava ao vento era bonita por demais com cores de paz e serenidade,
a bandeira do Brasil.
O sentinela daquele acampamento era um soldado com a pele morena, queimada do
sol, e quando ele viu aquelas crianças e velhos com fome e frio, sentiu um aperto de
piedade no coração, porque assim é a gente do Brasil. Em frente ao comandante
brasileiro falaram:...
- Senhor, feliz natal! Temos fome e frios pedimos vossa ajuda!

Finalmente agora estavam falando com um homem também de coragem, mas
principalmente de alma grande e coração pleno de bondade. O Capitão Brasileiro fez
um silêncio respeitoso, depois pegou no colo um menino, o mais pequenino, segurou
com carinho de pai, pois aquele menino era como seu filho, agora distante no Brasil.

Este pequeno gesto, feito com amor valeu mais que mil palavras. Naquele momento ele
sentiu no coração a emoção de que era o próprio menino Jesus que estava em seus
braços. Depois com emoção falou:..
- Entrem todos, venham a nossa casa, este acampamento agora é um pedacinho do nosso Brasil. Venham irmãos, pois esta é também a vossa casa. Venham cear e cantar junto de nossos bravos, aqui temos feijão e arroz, a nossa comida predileta, se preferirem temos também polenta e neste dia de
natal, doces e chocolate para as crianças, convido todos a cantar para agradecer a Jesus,
Maria e José, depois de joelhos, rezar para pedir que a paz retorne ao coração dos
homens e ao mundo. 
Esta é a força do amor infinito de Nosso Senhor Jesus cristo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou?Comente aqui e se possível inscreva-se.