Pagine

Clique para entrar

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Site italiano fala sobre o TALIAN e sua história aqui no Brasil

Fiquei muito feliz em receber um email da Itália com uma matéria especial sobre o TALIAN, se você não entende italiano não se preocupe, eu faço a tradução pra você. Mas deixo aqui o link da postagem original em italiano. Agradecemos ao SPL pela parceria.

  Tradução para português

Brasil, o quinto maior país do mundo, tem uma população de mais de 203 milhões de habitantes. É o único país americano a ter o Português como sua língua oficial, o que, portanto, faz parte da identidade nacional. A versão em Português do Brasil é bastante diferente do da Europa, mas, uma vez que é falado por muito mais pessoas (Sem mencionar a enorme fama devido à sua música e futebol), é também o mais conhecido no mundo.

Ao lado da língua oficial, há muitas línguas locais, falada por povos indígenas antes da chegada dos colonizadores europeus. Estima-se que em 1500 falava-se mais de mil línguas indígenas, a maioria das quais, no entanto, já desapareceram. Isso também aconteceu por causa de inúmeras políticas repressivas por parte do governo brasileiro, que repetidamente tentaram impor o Português como única língua. O ponto culminante desta política ocorreu no momento em que o presidente nacionalista Getúlio Vargas: o famoso "Estado Novo" (1937-1945), no qual ele foi tão longe como a cunhar o conceito de "crime idiomático". A situação começou a melhorar apenas nos anos oitenta, quando a nova Constituição concedidas aos indígenas o direito de aprender a sua língua local na escola. Hoje em dia, portanto, no Brasil ainda existem quase trezentas línguas indígenas: sua vitalidade ainda está em risco, porque a maioria dos índios usa principalmente Português. Em suma, somos confrontados com uma situação semelhante com a dos chamados "dialetos" italianos.

Vênetos no Brasil e outros imigrantes

Como você sabe, a história americana ficou conhecida, especialmente na segunda metade do século XIX, em um fenômeno enorme de imigração. Massas enormes de europeus partiram de suas terras e se estabeleceram no exterior, atraídos por grandes possibilidades econômicas: nos Estados Unidos, Canadá, México, Uruguai, Argentina e, claro, também no Brasil.

Entre os líderes deste êxodo no Brasil foram os alemães, e, como todos sabemos, os italianos. Ao contrário dos Estados Unidos (onde a maioria dos imigrantes foram os do sul), na América Latina o maior núcleo veio do norte da Itália: especialmente Friuli, Trentino, Genova, Lombardia e Veneto.

O que talvez você não saiba, é que todos estes imigrantes não falam italiano, mas sim suas línguas locais, mesmo entre si. Em algumas comunidades de maioria Italiana do Rio Grande do Sul, se formou uma espécie de Koine macro-regional, que teve origem na maior parte das variantes da região vêneto do norte (de Feltre, por exemplo) e Trentino, e foi chamado TALIAN.

Da mesma forma, algumas comunidades de imigrantes alemães formaram seu próprio idioma, principalmente com base na variante alemã da cidade de Hunsrück, e que ainda é conhecido como Hunsrückisch Riograndense.

O Talian: Características e história

Como já mencionado, o TALIAN é essencialmente uma variante do Veneto, com influências provenientes principalmente das províncias de Belluno, Treviso e Trento, embora dependendo da área também pode ter influências de Pádua, Vicenza, ou mesmo Lombardo ou Friuliano - também se acrescenta alguma influência do Português, especialmente em neologismos. o vêneto se espalhou como fundo principal do Koine porque a maioria dos imigrantes italianos no Brasil veio daquela região: em algumas áreas, portanto, também desenvolveu um tipo de trilinguismo, idioma local-talian-Português.

No entanto, nem mesmo o TALIAN teve uma vida fácil. Como o Hunsrückisch e idiomas indígenas, esta língua tem sido severamente perseguida durante os anos quarenta por parte do regime Vargas. Como sempre acontece nestes casos, o trauma para a comunidade dos falantes foi muito forte: como resultado, muitos abandonaram sua língua materna para falar Português, mesmo após o fim do período mais acentuado da perseguição. O resultado é que, hoje em dia, o TALIAN é uma língua particular, falada em família, mas não publicamente. Mais uma vez, notamos uma certa semelhança com o destino de nossas línguas na Itália!

No entanto, ao longo dos últimos trinta anos, as políticas do governo brasileiro mudaram em favor de uma maior abertura ao multilinguismo: embora o Português continua a ser a única língua oficial do País, a nível local pode ser protegido (mesmo com o ensino na escola). Em 2009, o TALIAN foi declarado patrimônio linguístico dos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, e em 2014  patrimônio cultural do Brasil. Além disso, é língua co-oficial da cidade de Serafina Corrêa. De acordo com estimativas do governo brasileiro, o TALIAN ainda é falado por meio milhão de pessoas em 133 cidades. Embora a situação geral da língua não está fácil, existem inúmeras atividades culturais em seu favor, nas rádio, nos jornais.

Uma situação paradoxal

Sendo esse o caso, somos confrontados com uma situação bastante singular:

* O Vêneto na Itália é falado por cerca de 6 milhões de pessoas, no Brasil por meio milhão;
* O Vêneto na Itália é uma língua indígena do território, no Brasil, em vez introduziu-se recentemente;
* O Vêneto na Itália foi muitas vezes subordinado à língua nacional, no Brasil era apenas perseguido e reprimido;
* O Vêneto na Itália ainda não é reconhecido e protegido pelo Estado, no Brasil sim.

Sem dúvida, é algo que nos faz refletir.

Fonte; SPL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou?Comente aqui e se possível inscreva-se.