Pagine

Clique para entrar

RÁDIO AMICI DEL TALIAN NO AR

sábado, 28 de abril de 2018

La Batàlia de Montese - Ademar Lizot

'La cità de Montese, localisada in meso a le provìnsie de Modena e Bologna, nel paeselo
de Emila-Romana Itàlia, ze stato palco de la più sanguinosa e crudele batàlia che el esèrsito
brasilian ga infrontà ntea seconda guera mondial, la più bruta de tuti tempi.

L`éra el giorno 14 de aprile de 1945, quando í batalioni brasiliani, soto el comando del
General gausso Mascarenhas de Moraes, ga scominsià el infrontamento al esèrcito de la
Germània e dei soldati de Mussolini, che`i zera tuti a posto in diverse fortificassion al longo dele montagne, nte un tereno de difìssile aprossimassion e pieni de canoni e metraliadore, l`era cossì un punto perfeto par í defensori far el infrontamento dela batàlia. Dopo de 4 giorni de combatimento el esèrcito del Brasil gavea de pi de 430 soldati feridi e 39  morti, nte un
testimònio de sangue e onor a la libertà dei popoli. Nel giorno 18 de aprile ga vignesto la
libertassion de la cità. Questa le stato una vitòria che`l vinsetor, el esèrsito brasilian, ga buo
pèrdito tanto grande come quele del perdidor. In questi 4 giorni de lota, el fogo dele canonade e metraliatrisse tedesche, ga distruto la cità, le stà un disastro, de 1.120 residense, 833 le ze restà tute rovinà soto tera. Cento e otanta nove persone de la comunità í ga perso la vita e anca de più de setessento feride, soratudo done, vècii e bambini. Í soldati brasiliani ntea batàlia de Montese, í ga infrontà una situassion de contìnua precarietà, parvia che el esèrcito dela Germània, insieme dei soldati fassisti de Mussulini, í zera intriceriadi par sora í monti con la protession de diverse fortificassione. Questi ati de coràio e onor, dei bravi soldati brasiliani, che insieme gavea anca tanti tosi fioi de imigranti taliani, che i ze ritornati a la Pàtria dei so
genitori par con sàngue e coràio portar la libertassion del popolo d`Itália. Setanta tre ani fà, de tante vite trate via nte quela stùpida guera. Penso mi che la guera ze una inbessilità andove í gióvani che no i se cognosse mea e cossì anca no se òdia cossì tanto í se copa intra de lori solamente par una decision de vècii, a lontan de le batàlie, che í se cognosse e che i ga el cuor pien de odiosità, però questi vècii che òdia cossì tanto, no i ga mea coràio de coparse, cossì se pol dir che la guera ze la più granda stupidità dei omeni.
Adesso ntea piassa de Montese, ga un monumento in onor ai soldati del Brasil e tuti ani, al giorno 25 de aprile, el popolo de Montese, davanti de quel monumento, í fà un omenàgio a tuti quei che ga fato el spedissionàrio ntela campagna d`Itália. In quel momento, davanti la bandiera d`Itália e del Brasil, co la gratitùdine che vien del profondo de so cour e la ànima piena de contantessa, co`l corpo indrissà i canta l`ino de la FEB, “Forsa Spedissionària Brasiliana.”

“Por mais terras que eu percorra,
Não permita Deus que eu morra,
Sem que volte para la´
Sem que eu leve por divisa,
Este V que simboliza a vitória que virá.

Ademar Lizot.



Tradução para português

A batalha de Montese
A cidade de Montese, localizada entre as províncias de Modena e Bolonha na Emilia-Romana, Itália, foi palco da mais sangrenta e cruel batalha que a FEB (Força Expedicionária Brasileira), enfrentou na sua campanha na Itália na segunda guerra mundial.
Era o dia 14 de abril de 1945, quando os batalhões do exército brasileiro, sob o comando do general gaúcho Mascarenha de Moraes, começaram o enfrentamento ao exército da Alemanha e dos soldados Italianos de Benito Mussolini, que estavam entrincheirados em diversas fortificações ao longo das montanhas, em um terreno de difícil acesso e protegidos com artilharia e fogo de metralhadoras, era assim um lugar perfeito para os defensores. Depois de 4 dias de intensa luta, os expedicionários brasileiros aviam sofrido mais de 430 feridos e também 39 mortos, dando assim um testemunho de sangue e honra na luta para a libertação do povo e da cidade de Montese. Foi uma vitória em que o exército vencedor teve perdas tão grandes quanto o exército derrotado. Nestes 4 dias de batalhas, o fogo dos canhões e metralhadoras inimigas destruíram a cidade, foi um verdadeiro desastre, pois das 1.120 casas, 833 estavam destruídas, 189 civis mortos e mais de 700 feridos, principalmente velhos, mulheres e crianças. Os soldados do Brasil, nesta luta, enfrentaram uma situação de continua precariedade, pois o exército inimigo estava dominando posições de plena vantagem. Foram atos de extrema coragem e honra dos brasileiros e junto a eles lutaram com o mesma coragem e honra, muitos filhos de imigrantes Italianos que depois de muitos anos retornaram a Pátria de seus pais para libertar o povo Italiano.

Agora 73 anos fazem que muitas vidas se perderam em mais uma estupida guerra, confirmando assim que as guerras são uma grande imbecilidade, onde jovens que não se conhecem e não se odeiam, se matam somente por decisões de velhos que se conhecem e se odeiam, mas não tem coragem de enfrentar-se e matar-se.

Na praça principal de Montese, tem um monumento em honra aos expedicionários brasileiros e todos os anos no dia 25 de abril o povo italiano presta sua homenagem aos heróis da FEB. Naquele momento em frente as bandeiras do Brasil e Itália, com seus corações plenos de gratidão e contentamento, cantam o hino do expedicionário, provocando até mesmo lagrimas nos olhos dos mais velhos.

2 comentários :

  1. Na bea stòria! Grando laoro che ti fai par el Talian.

    Ghenò anca on blog in Talian, ma el xe pena scominsià.

    http://www.fatefurbo.com

    ResponderExcluir
  2. Gràssie Marco, bisogna portar avanti la stòria de la nostra gente.

    ResponderExcluir

Gostou?Comente aqui e se possível inscreva-se.