Pagine

Clique para entrar

RÁDIO AMICI DEL TALIAN NO AR

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Tempo de ndar via - Tempo de Partir - Ademar Lizot

Talian 


El tempo porta via squasi tuto, ma nò í momenti vivesti, nò la emossion del cuor, tutavia se
pol dir che`l tempo le anca signor de nostro destin e la vita la ze compagno de un giugo de
carte e in questo giugo el destin fa la mescolansa de le carte e noantri bisogna giugar. Anca
cada cosa ga el so tempo giusto, cossì dopo dela tempesta vien i bei tempi, dopo dei giorni de
bruto caldo, vien quei con la brina santìssima e bela come la neve. Ga el tempo dei campi de
arare e piantar formento e dopo el tempo del grano da crèssere.
In questo mese de aprile ga vignesto par mi el tempo de andar via, de cambiar de posto e
cità, dopo de tanti ani andar via dela Provìnsia de San Piero, questo paese benedeto che a
tanti ani, ga acoliesto pròpio cossì ben, la nostra gente rento de suo cuor, cossì me fá fin pecà
andar via. Adesso andemo compir nostro destin nte l`altra banda del fiume Uruguai, nel
stado de Santa Catarina. Le un tempo che bisogna sbandonar tante robe e desmentegarsse
de quele stradete che me portea sempre al medésimo posto. E quando se va de star nte na
cità a lontan de tante persone speciale, persone che gavemo sempre dentro del cuor,
persone che ntel libro dea stòria dea nostra vita, le ze in tuti í capìtoli, alora ntel momento
dea partensa, del ùltimo abrassio, de la ùltima parola, vien un pianzamento e in quel s-ciantin
me vien la confirmassion che`l valor de un abràssio no´l ze mea ntel tempo de so durassion,
ma si ntea intensità che sbate nostro cuor . Ntel momento che gavemo oltrapassa la frontiera,
ntel fiume Uruguai, go sentisto nel cuor el medèsimo sgrissolon de dolor che ga sentisto nostri
noni, ntel giorno che`i ga fato la partensa dea so Pàtria Itàlia, tanti ani vanti, par vegner via a
l`Mérica.
Adesso son de star nte una cità darente al mar, con una belìssima spiàgia, el clima qua le bon,
né massa caldo, né massa fredo, cossì se sta pròpio ben a casa, parché ga sempre n`ària
serena che vien rento par la finestra e la vista de questo paeselo le tanto bela. Me piase ogni
giorni, quando el sol el ze a tramonto, caminar par la spiàgia, a perder de vista e in quel s-ciantin
che so drio caminar, vardo dadrio e osservo le mie pestade ntea sàbia e quele pestade le me
fa la finta de esser definitive nte un tempo che definitivo le solamente el nostro ùltimo
sospiro. 
Alora co`i òcii pieni de serenità e l'ànima indenociada davanti l´altar de la natura,
remiro el firmamento e anca la imensità del mar e ringràssio al Siore Dio, che par la so
grandiosità e bontà senfa fin ga regalà a so fioi con questa natura spetacolar. Le un momento
che me vien el sentimento e la cossiensa, che mi son tanto picoleto in presensa de questa
grandiosità, però anca benedeto, parvia che go la fedùcia de dir che anca mi so fiol de chi ga
fato questa maravéia.

Tradução para português

Quase tudo nos leva o tempo , mas não os momentos vividos, não a emoção sentida no
coração. O tempo é também senhor de nosso destino e a vida é igual um jogo de cartas em
que o destino faz a mistura das mesmas para nós depois jogarmos. Assim cada coisa tem o
tempo certo de acontecer, depois da tempestade tem os bons tempos, depois dos dias de
calor, os de geada fria, tem o tempo de arar os campos e plantar as sementes e depois o
tempo de crescer os grãos.
Neste mês de abril, chegou para nós o tempo de mudar de lugar, de cidade. Depois de
tantos anos, ir embora do Rio Grande, este lugar abençoado, que a tantos anos atrás acolheu
nossa gente dentro de seu coração. Agora vamos cumprir nosso destino no outro lado do rio

Uruguai, estado de Santa Catarina, é um tempo de mudar tantas coisas e também de esquecer
tantos caminhos que levavam sempre aos mesmos lugares. E no momento de partir para este
lugar, agora distante de tantas pessoas especiais, que estão sempre dentro de nosso coração,
pessoas que no livro que conta a história de nossa vida, estão constantes em todos os
capítulos, então no momento da partida, no momento do último abraço, da última palavra,
sinto que vem do fundo da alma um pranto sentido e naquele momento tenho a confirmação
que o valor de um abraço não está no tempo de duração, mas sim na intensidade que bate o
coração. Depois quando transpomos a fronteira do Rio Grande, sobre a ponte do rio Uruguai,
senti a mesma emoção, que provavelmente meus avós sentiram, no dia em que partiram da
Pátria em que nasceram, para residir em outro País.
Agora resido em uma cidade junto ao mar, com uma bela praia, o clima é bom, nem muito
quente, nem muito frio, assim está sempre legal em nossa casa, pois tem sempre um ar sereno
adentrando nas janelas e a paisagem do lugar é belíssima. É sempre um prazer caminhar pelas
areais da praia a perder de vista, e nestes momentos que estou a caminhar, olho para traz e
vejo nas areias as minhas pegadas fingindo serem eternas, em um tempo que eterno é
somente nosso último suspiro. Então com serenidade e emoção, em frente ao altar da
natureza, com minha alma de joelhos, admiro o céu e a imensidão do mar e agradeço ao
Criador que por sua grandiosidade e bondade sem fim, nos presenteou com esta natureza
espetacular. É um momento em que tenho a consciência de quanto sou pequeno na presença
desta grandiosidade, porem me sinto abençoado por também ser obra do criador destas
maravilhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou?Comente aqui e se possível inscreva-se.