Pagine

Clique para entrar

RÁDIO AMICI DEL TALIAN NO AR

sábado, 26 de maio de 2018

Due Fassoleti - Dois lenços - Ademar Lizot

Altro giorno el nono Fiorindo, co la so fàcia sempre iluminata de serenità e pace, me ga racontà una stòria del tempo che`i òmeni se copea parvia del color de un fassoleto.

Questa stòria ga sopravegnesto ntei primi ani de sècolo trascorsso, quando ntel ano de 1923 ga scopià de colpo la revolussion, ntea Provìnsia de San Piero e par ùndese mesi ga porta la guera intra de fradei. Questa lota, meio dir desgràssia, ga scominsià parvia dei polìtichi sensa creansa, che í fea quelo che`i volea e ntea elession del ano anterior í ga fato una trufa, meio dir una ciavada piena de violensa del governo quel zera ditatorial. í governista pensea che sol lori í zera onesti, sol lori í zera democratichi! El so comandante zera Borges de Medeiros del partido republicano e che fea de pi de 20 ani che el zera el condotier dea Provìnsia. La trupa del governo gavea de identificassion el fassoleto bianco nel col, che`l zera anca so bandiera, i ghe ciameva de “chimango”, (nomignolo che i federalisti i ghe deva a quei del Partido Republicano)

El condotier dei perdidori de la elession zera el senador Francisco de Assis Brasil, che el aparteneva al partido del movimento dela aliança libertadora, che zera anca el partido "maragato" e sempre l`é stà un opositor duro e el ga fato la convocassion e dopo armà í rebeldi contra el governo par far la revolussion insieme de tuti í maragati de la Provìnsia. Cossì che`l pòpolo gueriero ga fato la acoliensa del ciamamento.

Í “maragati” de la Provìnsia de San Piero, zera quei che portea nel col el fassoleto rosso, che zera so bandiera e anca la identità de una cultura belicosa che ga scominsià ntel sècolo disnove ntea Spagna, region de la “maragateria”, cossì í gavea orgòlio la denominassion “Maragato”. In queí ani, solamente chi gavea coràio portea el fassoleto rosso nel col.

Ntel mese de genaro de 1923, í “maragati” soto el comando de Assis Brasil, co`l fassoleto rosso sgorlando al vento, í ga atacà la cità de Passo Fundo e Palmeira das Missões, scominsiando cossì la revolussion. La trupa del governo, í “scimangui”, del fassoleto bianco nel col, í ga fato la resisténsia parvia che`i dopereva armamento pi moderno. La trupa dei “maragati”, come la zera scarsa de armamenti moderni, la feva una guera de guerìlia contra el esèrcito del governo e cossì i ga prolongà la lota intra de fradei, che solamente dopo de undese mesi la se ga fini, sensa gnanca un vencitor.

La nostra gente, dissendente de la granda imigrassion Italiana de 1875, no ga mea participà in questa lota, intra de fradei, gnanca de la banda dei fassoleti Rossi, gnanca de la banda dei fassoleti bianchi, parvia che` í zera gente solamente de pace e laoro e í noni più vècii, nassesti in Itália, no í se gaveva mai desmentegà dei bruti tempi che`i ga vivesto in Itàlia quando í zera soto guere e revolussion, el suo obietivo de vita in questo paese, zera la faméia, el laoro e la credensa in Dio. Però í pòveri coloni, in quei mesi de revolussion, i ga sofresto, parvia che la trupa dei rebeldi “maragati” e del governo í “scimanghi”, quando í passea darente de una propietà, í se fermea par ciapar cavai e soratuto vache e porchi par darghe de magnar ai soldati e í porigrami coloni no í podea far gnente. El nono Fiorindo, tante volte, insieme dei fradei pi vècii, ga andato scónder l`é bèstie in meso al bosco, soratuto í cavai e vache de late.

Cossì me ga racontà, con so parole de verità, el nono Fiorindo, intanto che se bevea un bicier de vin.



Ademar Lizot.



Tradução para português



Outro dia o nono Fiorindo, sempre com sua face iluminada de serenidade e paz, me contou uma história de um tempo em que os homens se matavam pelo que representava a cor de um lenço.

Esta história se passou nos primeiros anos do século passado, quando o Rio Grande era ainda abarbarado e no ano de 1923 estourou a revolução e por 11 meses trouxe a peleia entre irmãos. Esta luta, melhor dizer desgraça, começou devido os políticos sem fé da época, que faziam o que queriam e nas eleições do ano anterior fraudaram o resultado das urnas para governo estadual. O governo era ditatorial. Os governistas, pensavam que somente eles eram honestos e democráticos, seu comandante era Borges de Medeiros, que a mais de 20 anos conduzia a província com mão de ferro. A força governista era identificada ao lenço de cor branca, era como que sua bandeira, eram chamados de “Chimangos”.

O comandante dos perdedores da eleição fraudada, era o senador da república Francisco de Assis Brasil, do partido “Maragato” e sempre foi um ferrenho opositor da situação. Assim ele convocou e armou os rebeldes maragatos da Província e aquele povo guerreiro acolheu seu chamamento.

Os maragatos do Rio Grande ostentavam o lenço vermelho no pescoço, este era sua identificação, sua bandeira e também a representação de uma cultura belicosa, que começou no século 19 na região da “maragateria” Espanha. Eles tinham muito orgulho de serem maragatos porque naqueles tempos somente gente de coragem ostentava o lenço vermelho no pescoço.

Então no mês de janeiro de 1923, os maragatos, com seus lenços colorados tremulando ao vento e comandados por Assis Brasil, atacaram as cidades de Passo Fundo e Palmeiras das Missões, simultaneamente. A tropa governista, os chimangos do lenço branco, resistiram pois possuíam armamento mais moderno, assim a força rebelde, menos armada, optou por uma guerra de guerrilhas, prolongando assim o conflito entre irmãos.

Nesta guerra, os descendentes da grande imigração Italiana de 1875, permaneceram neutros no conflito, pois perceberam que era uma luta entre irmãos e também principalmente porque os descendentes italianos eram acima de tudo pessoas de paz, trabalho e religiosidade. Os mais velhos, nascidos ainda na Itália, não haviam esquecidos as guerras e revoluções sofridas. Porem, assim mesmo esta gente de paz e trabalho, também pagou seu tributo de sofrimento, pois quando as forças conflitantes passavam pela região colonial, confiscavam os animais e mantimentos para alimentar a tropa.

Assim me contou o nono Fiorindo, sempre com suas palavras cheias de verdades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou?Comente aqui e se possível inscreva-se.