Pagine

Clique para entrar

RÁDIO AMICI DEL TALIAN NO AR

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Viàio a L`Itàlia ( parte 2) - Ademar Lizot

Ascoltemo el pròprio Lizot:

Fronte al Colosseo

Par veder la parte 1 spùncia qua.

Un dito popolar dela antighità aferma:..” Che intanto che`l Colosseo sostégnerse in piè, anca
Roma la cità eterna ga da èsserghe viva e quando cascar in tera el Colosseo, anca Roma ga de
èsser strassinada.” Tutavia di de ancoi el ze ancora in gamba, forte e maestoso. Cossì lo go visto nte un giorno del mese de agosto, zera vendre, al dopo el meso di, una bela giornada,
calda, sensa gnanca una nùvola nel cielo, alora de capel alsà in su par la testa e vestito co la malieta del Amici delTalian, go scominsià a caminar par la via Cavour in Roma, la cità eterna, alsada sú a più de due mila e setessento ani, fata con guera e sàngue, conforme contea nostri noni, con so parole de sapiensa e anca compagno l`é scrito ntei libri dela stòria. In quel momento scominsiava a efetivar el desidèrio, mèio dir el sogno che gaveva ancora de picinin. Cossì caminea co í òcii pieni de emossion, par veder la grandiossità dela cità eterna.
Sinquessento metri dopo go rivar davanti el monumental Colosseo, vero trionfo dela
essessional capassità construtiva dei Romani dela antiguità. Construito del ano 68 al ano 79
dela era Cristiana par òrdine de l`Imperador Vespasiano (Tito), che dopo lo ga batesà de
“Anfiteatro Flaviano” in omàgio a suo pupà. Alora, in quel momento, davanti el Colosseo, go
restà talmente remirà , che no zera gnanca bon de parlar. La imponensa dela construssion anca
tireva adosso una mùcia de persone de ogni paesi del mondo e tuti í vardea con òcii de
amirassion. Dopo rento del colosseo go remirà, in silénsio, í sassi milenari, tuti taiadi con
caprissio e metesti a posto con passiensa dopo de una quantità infinita de sforsi dei s-ciavi di
Roma. E la sentà nte quele archibancade de due mila ani de età, in meso de quei paredoni
milenari, me ga vignesto el sentimento de che quei sassi í ze ancora incarminadi co`l sàngue
de tanti Cristiani strassinadi soto l`é bèstie de ferossità e anca dei gladiadori di Roma nte una
lota de vita o morte, nte quela arena di guera. In quel s-ciantin go ricordà che tanto sàngue ga
spandà, vanti di Roma ricognosser la religion Cristiana, che solamente ntel ano 380 dela era
Cristiana, par òrdine del Imperador Teodòsio, el Cristianèsimo ga daventà la religion ofissial
del Impero Romano. Cossì ze la stòria dela umanità, un grando martìrio che traverso el tempo
girà con la soferansa umana. Ntel momento dela ussita, go cavà el capel dela testa in rispeto, e
dopo de ànima go dito na preguiera in onor a e ànime de quei màrtire.
Adesso el monumental Colosseo, che riposa nte un sono profondo de vìnti sècoli, ga nte
suo interno una Crose, granda, maestosa, mèio dir imponente, autèntico testimònio e
confirmassion par tuti noantri, che la forsa più potente del mondo, che traverso dei tempi
mena conforto, coràio e amabilità a l'ànima e al cuor dela umanità, ze el amor sensa fin de
Nostro Signor Gesù Cristo.

Ademar lizot.

Tradução

Tem um dito popular da antiguidade que diz que enquanto o Coliseo estiver de pé a cidade
de Roma também estará de pé e quando o Coliseu cair, Roma também cairá. Felizmente ele
ainda está firme e majestoso, foi assim que o vi em um dia do mês de agosto, uma sexta-feira,
bela e quente, sem nenhuma nuvem nos céus. Assim fui caminhando pela via Cavour em Roma
a cidade eterna, fundada a mais de 2700 anos e depois edificada com guerras e sangue, isso
contavam meus avós, com suas palavras sábias exatamente com está escrito nos livros da
história. Naquele momento começa a realizar um sonho que tinha desde criança e caminhava
por aquela via com os olhos plenos de contentamento.

Após 500 metros de caminhada cheguei em frente ao monumental Coliseu, verdadeiro
triunfo da excepcional capacidade construtiva dos romanos da antiguidade. Foi construído do
ano 68 ao ano 79 DC, por ordem do Imperador Vespasiano (Tito), que depois o batizou de
“Anfiteatro Flaviano, em homenagem ao seu pai. Então, ali em frente ao Coliseu, naquele
momento fiquei totalmente admirado, que até mesmo me faltaram as palavras, a imponência
daquela construção encantava também a uma grande quantidade de pessoas de várias partes
do mundo. Depois dentro do estádio, em silencio admirei suas pedras milenares, todas
falquejadas com capricho e postadas com paciência, após uma quantidade infinita de esforços
dos escravos de Roma. E ali sentado naquelas arquibancadas de dois mil anos, em meio
aqueles paredões milenares, tive o sentimento de que aquelas pedras estavam ainda
manchadas pelo sangue derramado pelos cristão que foram ali dentro chacinados pelos
animais ferozes, juntamente aos gladiadores de Roma em uma luta de vida ou morte. Lembrei
também que muito sangue foi derramado antes que Roma reconhecesse a religião Cristã, pois
somente em 380 DC, por ordem do Imperador Teodósio o cristianismo foi oficializado como a
religião do Império Romano. Assim é a história da humanidade, um grande martírio que
através dos tempos gira com o sofrimento humano. Na hora da saída saquei meu chapéu da
testa em respeito e disse uma oração em honra à alma daqueles milhares de mártires.

Agora dentro do monumental Coliseu, que dorme um sono de 20 séculos, tem uma Cruz,
grande, majestosa, melhor dizer imponente, verdadeiro testemunho e confirmação de que a
força mais potente do mundo, que através dos tempos leva conforto, coragem e amor às
almas e corações humanos, é o amor infinito de Nosso senhor Jesus Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou?Comente aqui e se possível inscreva-se.