Pagine

Clique para entrar

RÁDIO AMICI DEL TALIAN NO AR

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Viàio a l`Itália (parte 3) - Ademar Lizot

Ascoltemo el Lizot con la tòria...



Roma


Imperadori di Roma, Nero, César, Marco Aurélio, che la stòria ga imortalisà, in
quei tempi che la vita de un omo l`éra decisa traverso de un gesto col deo, i arfermea
che el cuor polsante di Roma, no l`é mia el marmo dei monumenti e construssione
maestose, ma sì la sàbia calda e incarminada de sàngue dela arena di guera del
Colosseo. Questo ze un dito dela antiguità che go ricordà ntel giorno che so andato
trovar la cità eterna, con so construssione e monumenti imponenti... El Colosseo vero
sìmbolo dela Roma imperial, par sempre incarminà co`l sàngue dei gladiadori in
combate de vita o morte. Dopo el “foro Romano”, che zera el centro del poder
imperial, postà tra meso la colina del monte Paladino e la colina del monte Capitòlio,
che vissin dele muràlie (dighe) e aqueduti di Roma i ze compagno dela cità di Pompèia,
strassinada soto le sénare del vulcan Vesúvio. Adesso questa grandiossità l`é
solamete rovine deserte che el sol del oriente calcina co`í so ràgie che brusa. Adesso
posso dir, che go visto butadi zo nte quei sassi, solamente un vestígio de quela
poderosa civiltà, che zera el centro del poder del mondo nela antiguità e che ga moldà
anca el mondo par sempre.
Però dopo de vinti sècoli passadi, ogni cose ga cambià e
posso dir che di de ancoi, el vero cuor polsante di Roma, ze ancora i monumenti,
costrussione e sculture che la umanità ga eredità de quela civiltà maestosa, cossì go
osservà quando son riva davanti la Basìlica de San Piero, nte una doménega de
matina, la ùltima del mese de agosto pròssimo passà. La grandiossità de quel edifìssio
me ga mena un sentimento profondo de rispeto, la so belessa me tireva adosso una
gratanta amirassion, con tresentoquaranta stàtue colossai de santi, màrtire e àngeli.
In quel momento go sentisto mio cuor polsar forte parvia dela stragranda emossion.
Adesso questa ze la casa del Papa Francesco che con amabilità e sapiensa comanda la
ciesa de Cristo. Alora co`í òcii pieni de contentessa, go ringrassià al Signor-Dio par la
gràssia de cognosser quela ciesa maestosa e dopo rento dela Basìlica, go mirà la so
imponensa, mèio dir la genialità construtiva che no go mea la abilità par discrever,
con so ogni pinture e sculture, soratuto el capo laoro del scultor Michelàngelo
Buonarroti che ntel ano de 1499, con suo spìrito creador insieme de una tènica
perfeta el ga slevà sú in marmo la più notévole e bela scultura de tuti tempi, la
“Pietà”, che ritrata con emossion, el dolor e la divintà dela Madona sora el corpo
morto de suo fiol Gesù. Nte quel momento, davanti de quela imàgine maestosa, go
ricordà che Michelàngelo quando el ga finìo quel capo laoro, el ga dito a la Madona...-
“parla”.
Nte quela doménega dopo de tante emossione, go scominsià a pensarghe sora la
genialità de quei artisti che ga alsà sú laori cossì maestosi e penso mi che questa
genialità non l`é solamente la conseguensa de un stragrando laoro, ma anca la volantà
de Dio che sempre con so bontà sensa fin se manifesta nte la ànima del magnìfico
artista, L`é anca la apoteose dei nòbili sentimenti che insieme de na intenssa emossion,
alsa sú momenti de luminosità e el grando mèrito del artista, l`é saver tradur la
genialità imortal traverso de so capo laoro.

Ademar lizot.

Tradução para português

Nero, César e Marco Aurélio, imperadores de Roma na antiguidade, aquele tempo
em que a vida de um homem era decidida com o gesto de um dedo, afirmavam que o
coração pulsante de Roma não é o mármore belíssimo de seus monumentos e edifícios
majestosos, mas sim as areias quentes do Coliseu. Este dito da antiguidade lembrei no
dia em que visitei a cidade eterna, seus edifícios e monumentos imponentes, o Coliseu,
verdadeiro símbolo da Roma Imperial, incrustado com o sangue dos gladiadores em
luta de vida ou morte. Depois o fórum Romano localizado entre a colina do monte
Paladino e a colina do monte Capitólio, que junto dos aquedutos e muralhas, agora são
ruinas que dormem um sono de 20 séculos assim como a cidade de Pompéia soterrada
pelas cinzas do vulcão Vesúvio. Essas grandes obras de outrora são agora somente
ruinas desertas que o sol do oriente calcina com seus raios inclementes. Posso dizer
que vi deitadas naquelas pedras, somente o vestígio daquela civilização que foi o
centro do poder mundial na antiguidade e moldou o mundo para sempre. Após mais
de 20 séculos muitas coisas mudaram, mas ainda o coração pulsante de Roma são seus
monumentos, construções e esculturas que a humanidade herdou daquela civilização
majestosa.
Foi isso que observei quando cheguei em frente a Basílica de São Pedro, era
domingo, o ultimo do mês de agosto próximo passado. A grandiosidade daquele
edifício me trouxe um sentimento de profundo respeito e diante de sua beleza parei
admirado pelas suas 340 estátuas colossais de santos, mártires e anjos. Naquele
momento meu coração pulsou forte devido a grande emoção. Esta é também a casa
do Papa Francisco que com amor e sabedoria comanda a Igreja Católica. Então com
meus olhos plenos de contentamento, agradeci a Deus pela graça de conhecer aquela
igreja majestosa, e depois dentro da Basílica admirei sua imponência, melhor dizer sua
genialidade construtiva, a qual não tenho talento para descrever, com suas pinturas e
esculturas, principalmente a obra-prima do artista pintor e escultor Michelangelo
Buonarroti, que no ano de 1499 com seu espirito criador, acompanhado de uma
técnica perfeita, esculpiu em mármore a mais notável e bela escultura de todos os
tempos, “La Pietá”, que retrata com emoção a dor e a divindade de Nossa Senhora,
Mãe de Jesus, com seu filho morto nos braços. Naquele momento em frente aquela
imagem divina, recordei do escultor que ao finalizar sua obra prima falou
comovido:...”Parla”.
Naquele domingo, depois de tantas emoções, comecei a pensar sobre a genialidade
daqueles artistas que produziram trabalhos imortais, penso que esta genialidade não é
somente o resultado de um trabalho grandioso mas também a vontade de Deus, que
em sua bondade infinita se manifesta pela alma do artista. É também a apoteose de

seus nobres sentimentos que junto de uma intensa emoção lhe traz momentos de
luminosidade e o grande mérito do artista é saber traduzir sua genialidade imortal
através de sua obra prima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou?Comente aqui e se possível inscreva-se.