Pagine

Clique para entrar

RÁDIO AMICI DEL TALIAN NO AR

sábado, 26 de outubro de 2019

El Bondonion Màgico

Ascolta la stòria:



                                   
                                  El  Bandonion  Màgico
             El Son d`un bandonion l`é compagno un passà che se slongà par avanti del tempo           
     Atilio Benedetti l`éra  um grando mùsico, tipo bonasso de cuor  e  sèmplice d`anima, e par desgràssia orbo dei due òcii, ntela so vita, no`l gavea mai visto la luce del sol e gnanca i fiori dei campi.  Quando el gavea oto ani de eta, el so pupà, quel zera sonador de bandonion,  de questo mondo se ga lontana,  alora el povero tosatel el so bandonion el ga eredità  e malgrado el so orbimento,  in modo ostinà el ga serca la perfession in sonar quel strumento.  De sta manera el ga daventà un grando mùsico,  co`l vècio bandonion  el fea la animassion de bali e feste, nte`una mùcia de paesei, persi nel interior dela Provìncia de San Piero. Cossì el guadagnea el so pan de ogni giorni  e in quel tempo che lo go cognossesto, ani sessanta  del sècolo passà, el gavea de pi de cinquanta ani de eta e el zera sempre acompagnà de`l bandonion e dela so femena, che la zera anca i so òcii e la so fedùcia.
    La prima volta che go scoltà el tintinar del so bandonion, l`éra la melodia d`un tango che sonea insieme dela  ànima Gardel, e fin quel giorno nò gavea mai visto cossì granda fedeletà, che  alsea sù la imaginassion de chi gavea la abilità de sentirla e nte quel momento quel sonador el zera consentrà in so afar, go capi che nò`l zera solamente un bandonion, l`éra una granda ànima sonando quel bandonion, come se la fusse vignesta zo del cielo e che menea nte le me rècie el son pi bel che gavea mai scoltà e intanto che quela melodia se imparonea de m`anima, el bandonion sufìeva arfante  par far el acompagnamento dela maestria de so paron che co i so dei persi ntei botoni el fea vegner fora un son indessifràbile..., nte`un momento insinuando un pianto sentido che vigneva del profondo dela ànima e in altro,  una forte essitassion, acompagnata de bàrbare rissonanse, come se fusse el ùltimo ciamamento du`n clarin de guera,   nte`un  testimònio de sàngue e onor, e dopo, co  la someiansa d`un  cortel che taia el vent el  se desfea  par sora dei boschi e campi del paese, intanto che la luna, co la luminossità d`un cristal murano, la se alsea  sù nel cielo pinpianeta,  scoltando  el bandonion del vècio Atilio Benedetti. 
   Tutavia, ntele ale del vent, el tempo ga passà e nte`un giorno ga vignesto na notìssia che ga maltratà al mio cuor, el vècio Atilio l`éra morto e el so bandonion nò sonea mai pi.  Alora go dito:...Ah! Se gavèssimo in quei ani quei strumenti de gravassion de`l son, par eternizar la vose de quel grando mùsico, insieme del son de so bandonion, saria un vero testimònio de so capo laoro, de so talento.   Dopo de tanti ani,   go mai desmentega el vècio Atilio e so bandonion magìco, fursi parvia che m`anima la ghe piase le cansion nostàgiche, che parla de amor, de tera, de dignità e libertà,  però adesso go anca paura che la gioventù de di d`ancoi nò ga pi la sensibilità de sguardar el silensio dele matine e gnanca el bon gusto de scoltar el son màgico d`un bandonion, co la so malinconia, la so melodia che se imparona de nostra ànima e che ga la someiansa d`un passà  che se slongà par avanti del tempo.
Ademar Lizot.
(TRADUÇÃO)
   O som d`um Bandoneon  é igual a um passado que se alonga para além do tempo.
Atilio Benedetti foi um grande músico, sujeito bondoso de coração e simples de alma e por desgraça, cego dos dois olhos, em sua vida ele jamais viu a luz do sol e as flores do campo. Quando tinha 8 anos de idade, seu pai que era tocador de bandoneon, deste mundo se ausentou, então o menino seu instrumento herdou e apesar da cegueira, com obstinação procurou a perfeição no seu manejo. Assim tornou-se um grande músico, com o velho bandoneon animava festas e bailes em várias localidades perdidas no interior do Rio Grande do Sul, assim ele ganhava seu pão de cada dia, e quando o conheci ele tinha mais de 50 anos de idade e estava sempre acompanhado de seu bandoneon e da sua esposa, que era também seus olhos e sua confiança.
A primeira vez que escutei o som daquele bandoneon ele executava um tango com a alma de Gardel e até aquele dia eu jamais tinha visto tamanha fidelidade, pois parecia que o instrumento não estava sendo tocado, as notas simplesmente jorravam  de tão sublimes levando as alturas   a imaginação de quem conseguia senti-la. No momento em que o músico se concentrava em seu oficio, eu entendi que não era somente um bandoneon tocando,  era  uma grande alma tocando aquele instrumento, como se tivesse desprendido do céu para levar aos meus ouvidos o som mais lindo que já ouvira e enquanto aquela melodia se apossava de m`alma, o bandoneon arfava para fazer o acompanhamento da maestria de seu dono, que com seus dedos perdidos nos botões produzia um som indecifrável, ora insinuando um pranto sentido, uma saudade, ora uma barbara ressonância, como se fosse um clarim de guerra em um último chamamento e depois como se fosse uma lamina aquele som cortava o vento e se perdia por sobre os campos e bosques do lugar, enquanto a lua com a luminosidade d`um cristal subia ao céus devagar escutando o bandoneon de Atilio Benedetti.
Porem nas assas do vento o tempo passou, ate que um dia veio uma triste noticia que judiou meu coração, Atilio Benedetti havia morrido e o seu bandoneon calou-se para sempre. Naquele dia falei:... Àh, se tivéssemos naquela época passado os aparelhos para fazer a gravação da voz daquele grande músico e do som de seu bandoneon, certamente seria um testemunho de sua genialidade, de seu talento. Depois de tantos anos eu não esqueci  aquele som màgico, talvez porque m`alma gosta de canções nostálgicas, que falem de amor, de terra, sangue e liberdade e temo que hoje em dia a juventude não tenha mais a sensibilidade de admirar o silencio das manhãs e nem tenha o bom gosto de escutar o som magico d`um bandoneon, com a sua melancolia, sua melodia que se apossa de nossa alma e que é igual a um passado que se alonga para além do tempo.


Um comentário :

  1. Bona sera, struconàsso.
    Cossa que mia Mama paelea que,
    giorno dei morti ntela note,
    quei morti dela fameia vien far una
    visita in posto.

    ResponderExcluir

Gostou?Comente aqui e se possível inscreva-se.