Pagine

Clique para entrar

RÁDIO AMICI DEL TALIAN NO AR

sexta-feira, 10 de maio de 2019

Eroe d`Guera - Ademar Lizot

Ascoltemo Lizot:

    Ntei ani quaranta del sècolo passà,  tempo quel idioma talian ga deventà una lengua maledeta, che nò se podea pi doperarla e che anca la cultura dei imigranti taliani nel Brasil zera strassinada, gavea ntel interior dela Provìnsia de San Piero un giovenot de ànima límpida e pura, Lino Lanfredi zera el so nome,  fiol de imigranti de sàngue veneto nte le vene,  oriundi dela Provìnsia de Belluno, Itália e che i ga emigra al Brasil nel final  del sècolo 19, par  nte questo stragrando paese refar la so vita  nte uma località nel interior dela cità de Cassias del Sud (RS),  la ntel ano de 1925 ga nassesto quel giovenot, dopo  el ga cresesto  e anca  imparà a volerghe ben al paese che ani vanti gaveva acoeisto so gente.  Quando el gavea 18 ani de eta, nel ano de 1943, tempo quel mondo zera in guera, la più bruta e crudele de tuti tempi,  el  se ga presentà   al esèrsito brasilian par compir so obrigassion co la Pátria Brasiliana, che a pochi mesi vanti gavea fato la diclarassion d`guera contra l`Itália e Germania.  Cossì dopo de un baso a la mama, nantro al pupà e na mùcia ala morosa,  co`l cuor pien de fedùcia e coraio el ga partisto via soldà.  Peró so fameia  gavea el cuor pien de malinconia e paura che parvia dela guera no`l ritornesse  mai più. 
   Dopo de disdoto mesi de istrussion militar, ntea cità de Santa Maria (RS), un giorno nel scominsio del mese de agosto del 44, el colonel comandante ga riunio la trupa par dir quel regimento gaveva ricevesto el onor de andar far la guera e infrontar l`é canonade  e metraliatrisse dei nazi-fascista.  Dopo de una stimana de viaio  i ga riva a la cità del Rio de Janeiro par l`imbarco  nel bastimento con destin a l`distante Itália.  Dòdese giorni de viaio par sora el grando oceano, dòdese note di paura d`un ataco dei sotomarine tedeschi, quando  finalmente un giorno de matina bonora i ga scominsia a veder a lontan el monte Vesùvio e dopo el porto d`Nàpoli.  Quel giorno quando Nino Lanfredi  ga pesta par la prima volta nela tera Italiana el gavea la emossion de èsser nel paese de nassità dei so antenati,  alora el ga sentisto nel cuor una spunciada de orgòlio par la gràssia iutar ntea liberassion d´Itália dele force ninighe dela libertà. Dopo el se ga ricorda de so nono che sempre parlea de  ritornar par trovar nantra volta el Castel de Sant`Angelo e anca andar in pelegrinassion a la ciesa de San Piero(Vaticano) e ntea Fontana di Trevi par  trar zo una moneda ntea so àqua che sorge, el gavea el desidèrio de  ritornar par nantra volta veder el  paesàgio dela Toscana trovar i campi che ani vanti Leonardo da Vinci, gênio dela umanità,  ga remira e  ntea cità de Firence,  davanti el Duomo imponente con so marmo de color verdo, far el segno dela crose.  Pero  í monumenti e el paesàgio spetacolare de questo paese i zera soto el bombardeamento dei canoni e bombe, adesso la bela Itália  paese dela cultura, paese de nassità de Michèlangelo che l`é un dei pi grandi scultori de tuti tempi,  tera de Dante Alighieri, poeta dela latinità e Pátria dela cristianità,  nte quel bruto tempo la  zera strassinada soto el comando de persone crudele che no le gaveva gnessun rispeto par la vita dei altri.
   Nel mese de setembre de quel ano ga scominsia la lota del esèrcito del Brasil par far la  liberassion d`Itália.  Camaiore, Castelnuovo, Montese, Monte Castelo e tanti altri paeseli  la trupa brasiliana ga lota e libertà.  Insieme de questa trupa gaveva na mùcia de tosi dissendente dela gente taliana nel Brasil e che i ga lota sensa spaventarse dele canonade tedesche  nte  un testimònio de braura, sàngue e onor a la Pátria Brasiliana e Italiana, tutavia nte quela brutalità una mùcia de soldati i ga perso la vita in combatimento o parvia del fredo del inverno inclemente.
  Ntea batàlia de Montese, al 15 de abril del 45, el destin ga parecia una ciavada a che`l giovenot de ànima límpida e pura, del interior dela Provìnsia de San Piero, quando l`é stà feri con frégole de na granada e nte quel s-ciantin quel sàngue ghe coreva par el peto, insieme dela paura ga vignesto la densità che acompagnà el silènsio in meso la batàlia, el intrèpido dei canoni, bombe e granade,  insieme del osamento dele òrdine e dopo el spavento dela vose lamentosa de dolor dei feridi.  Alora nte quel momento, co`i sudori dela morte che ghe coreva par el viso,  el ga sera i òcci e dito una preghiera al Signor e la Madona e dopo de quela orassion fata co la ànima indenociada, el ga sentisto nel cuor una pace consolàbile, che  lo fea ritornar a so tempo de tosatel  e nte quel s-ciantin ghe parea de scoltar el nono  e la nona con parole de dolcessa drio contar na  bela storieta,  insieme del pupà e dela  mama che acaressea so cavei con teneressa e  dopo el ga buo na sensassion gradèvole che`l zera drio corer par i campi de so paeselo de nassità,  ntea  quel altra banda del grando oceano,  andove la natura l`é maestosa e ga í fiori più bei e più perfumadi, cossì   el ga andato a l`incontro del  l`ùltimo sono. 

Ademar Lizot.

          Um Herói de guerra

 
Nos anos 40 do século passado, naquele tempo em que o idioma Talian estava proibido e também a cultura dos imigrantes italianos no Brasil não era permitida, havia la no interior do Rio Grande do Sul um jovem de alma límpida e pura, de nome Lino Lanfredi, era filho de imigrantes italianos de sangue Veneto nas veias, oriundos da Província de Belluno, Itália e que emigraram para o Brasil no final do século 19, para aqui refazerem suas vidas em uma localidade no interior da cidade de Caxias do Sul (RS). Neste local no ano de 1925 nasceu o jovem, por la cresceu e se fez homem e também aprendeu a querer bem o pais que anos atrás havia acolhido sua gente. Quando tinha 18 anos de idade, em 1943, época em que o mundo estava em guerra, a mais bruta e cruel de todos os tempos, ele se apresentou ao exército brasileiro, para cumprir sua obrigação com a Pátria Brasileira que a poucos meses atrás havia declarado guerra à Itália e Alemanha. Assim depois de um beijo em  seus pais e vários em sua namorada, com o caração pleno de confiança ele partiu para ser soldado do exército brasileiro, porem seus familiares tinha a preocupação que devido a guerra ele não retornasse jamais.
  Assim depois de 18 meses de instrução militar na cidade de Santa Maria (RS), um dia no começo do mês de agosto de 1944, o coronel comandante reuniu a tropa para comunicar que o regimento havia sido merecedor da honra de combater o Nazi-Fascismo na Itália. Depois de uma semana de viagem eles chegaram na cidade do Rio de Janeiro para  embarcar no navio com destino a distante Itália.  Foram 12 dias de viagem, navegando no grande oceano, 12 noites de pavor de um possível ataque dos submarinos alemães, quando finalmente um dia pela manhã eles avistaram o monte Vesúvio e depois o porto de Nápoles. Naquele dia quando Lino Lanfredi pisou pela primeira vez em solo italiano ele tinha a emoção de estar no pais de seus antepassados e no coração sentiu um aperto de orgulho por poder lutar e ajudar na libertação da Itália das forças inimigas da liberdade. Depois lembrou de seu avô que tinha o desejo de um dia retornar a este pais, para novamente ver o castelo de Sant`Angelo, depois ir em peregrinação até  o Vaticano e na Fontana di Trevi jogar uma moeda em suas aguas borbulhantes, também na paisagem espetacular da Toscana, visitar aqueles campos que Leonardo da Vinci, gênio da humanidade, tanto admirava e por final na cidade de Florença, em frente ao seu Duomo imponente, fazer o sinal da cruz. Porem os monumentos e paisagens espetaculares  eram agora de difícil visitação, pois naquela época o pais da cultura, onde nasceu Michelangelo um dos maiores escultores de todos os tempos, também terra de Dante Alighieri, o poeta da latinidade, a nossa Pátria da cristianidade   estava em ruinas, sob o comando de pessoas sem respeito pela vida.
    No mês de setembro daquele ano iniciou a luta do exército do Brasil para a libertação do solo italiano. Camaiore, Castenuovo, Montese, Monte Castelo e tantas outras localidades a Força Expedicionária Brasileira (FEB) combateu e libertou do jugo nazi-fascista. Junto havia os jovens descendentes dos imigrantes italianos no Brasil, que lutaram sem temer os canhões e metralhadoras do inimigo, dando assim um testemunho de sangue, coragem e honra a Pátria Brasileira e Italiana. Todavia naquela brutalidade, muitos soldados perderam a vida em combate e também devido o frio inclemente.
Foi na batalha na cidade de Montese, aos 15 de abril de 1945, que o destino preparou uma cilada aquele jovem do interior do Rio Grande do Sul, foi quando um projetil de granada explodiu em seu corpo e naquele momento em que o sangue escoria por seu peito, junto do medo veio a densidade acompanhada do silencio em meio a batalha, junto do intrépido das ordem ditas aos gritos e do espocar dos canhões, bombas e granadas, além do grito lastimoso dos feridos. Naquele instante fatal ele fechou os olhos e orou ao Pai celestial e depois daquela oração sentiu uma paz consoladora no coração que o fez retornar aos tempos em que era menino, então escutou a voz de sua avó, com palavras suaves lhe contado uma história e parecia que estavam junto também seu pai e sua mãe, acariciando seus cabelos com ternura, depois teve a sensação agradável que estava outra vez correndo pelos campos onde nasceu, la no outro lado do grande oceano, onde a natureza é majestosa e as flores são mais lindas e mais perfumadas. Assim ele foi ao encontro de seu ultimo sono

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou?Comente aqui e se possível inscreva-se.

txt

google.com, pub-2838464224155337, DIRECT, f08c47fec0942fa0